Enem 2020: veja dicas para ‘mandar bem’ na prova de exatas no domingo

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

O segundo dia de prova impressa do Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio) ocorrerá no domingo (24) em todo o país. Em Mato Grosso do Sul, apenas 35.328 dos 82.638 inscritos compareceram. Fique atento: o local da prova é o mesmo do primeiro dia, assim como a abertura dos portões (11h30) e fechamento (13h). A única alteração é que a duração da prova será 30 min a menos, ou seja, terminará às 18h30.

Para o próximo domingo, o foco será matemático, tema de metade das 90 questões da prova. As outras 45 serão de ciências da natureza (física, química e biologia).

Apesar de longa e temida por muitos estudantes, no entanto, ela não exige do candidato um conhecimento tão aprofundado da disciplina. Uma consulta à matriz de referência do Enem pode dar uma ideia do que se espera do candidato na prova. Vamos elencar algumas dicas que podem te ajudar a obter uma nota melhor no exame.

O que esperar da prova de matemática do Enem 2020?

O Enem cobra do candidato um conhecimento mais básico de matemática, portanto, conteúdos como números complexos e sistemas de equações, por exemplo, aparecem pouco.

A dica de professores é focar a revisão final em matérias como estatística básica, com os conceitos de média, moda e mediana, operações entre conjuntos, grandezas proporcionais, cálculos de porcentagem e lógica.

Geometria plana também costuma aparecer como em cálculos de área e volume de figuras mais importantes como cubos, cilindros e paralelepípedos.

Análise combinatória e probabilidade também são assuntos que costumam aparecer e, apesar de exigirem uma leitura atenta, não devem ser exigidos em perguntas muito complexas.

Dicas ‘extras’

É importante ressaltar que existem outras variantes que interferem no desempenho do candidato na hora da prova como o emocional e o físico.

Por isso, é importante estar preparado em todos os quesitos. A primeira dica aqui é ter uma alimentação saudável e leve nos dias que antecedem a prova. Beber água também é importante.

Para ajudar a aliviar a tensão, que já deve ser menor por ser o segundo dia de provas, é recomendado praticar alguma atividade física do seu gosto, que te dê prazer e bem-estar, porque permite liberar uma série de hormônios que vão favorecer a concentração no dia da prova.

Agora não é hora de aprender conteúdo novo. Portanto, foque seus estudos finais na revisão de matérias-chave para a prova de domingo. Outra dica é fazer provas antigas do Enem.

Apesar de ser a primeira opção na hora do desespero, caso não saiba a resposta, evite chutar de primeira. Deixe-a para depois e, ao final, se ainda não souber a opção correta, elimine o máximo de alternativas possível para tentar responder.

Uma orientação de especialistas para otimizar o tempo, que é precioso para a prova, é ler primeiro a pergunta e depois o texto motivador. Isso poderá fazê-lo resolver a questão mais rápida.

Por fim, como se trata de prova de matemática e na hora não será permitido o uso de calculadora, professores indicam que os alunos também evitem o uso do eletrônico nos estudos e foquem em perceber onde estão errando mais e revisar esse conteúdo.

Preparação mental para a prova

Para ajudar os candidatos ao Enem quanto à preparação mental e trazer ânimo no segundo dia de prova, a Unip (Universidade Paulista) transmitirá a live “Desistir não está entre as opções: prepare-se mentalmente para a segunda fase do Enem”. Ficou interessado? Acompanhe a transmissão nesta quinta-feira (21), às 21h, pelas redes sociais da Unip.

A live terá mediação da jornalista Malu Mota e a presença de Sabrina Gasparetti, doutora em psicologia escolar e do desenvolvimento humano e professora do curso de psicologia da Unip. Dentre os assuntos abordados estarão: como manter o controle emocional, maturidade para lidar com frustração e outros temas relacionados ao autoconhecimento.

Mais Artigos

Vacina, Pressa e Propaganda

Mundo afora, governantes transformaram o desenvolvimento de uma vacina contra o Sars-CoV-2 em uma corrida política. De Donald Trump nos EUA a Vladimir Putin na Rússia, promessas de