Corumbá Participa do Encontro Estadual de Vigilância em Saúde

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Nos dias 17 e 18 de fevereiro profissionais da Secretaria de Saúde estão participando do Encontro Estadual de Vigilância em Saúde: Integração, Vigilância e Atenção Primária, o evento tem o objetivo de disseminar informações para otimizar a decisão oportuna no momento de enfrentar doenças como a dengue, influenza (gripe), coronavírus, tuberculose, hanseníase, infecções sexualmente transmissíveis, entre outras.

Durante o evento, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, falou sobre a vigilância na faixa de fronteira, “existe um programa de fronteiras que tem algumas politicas diferenciadas para estas regiões. Estamos negociando com a OPAS- Organização Pan Americana da Saúde para fazer as margens de fronteira”.

Especificamente sobre Corumbá, o Ministro conta “não adianta só o Brasil fazer e eles (os países vizinhos) não ajudarem, a Bolívia na divisa com Corumbá tem raiva animal. Estamos sempre preocupados com Corumbá referente a raiva humana, uma doença que não deveria estar o nosso escopo de preocupação, podemos até fornecer a vacina, mas eles (a Bolívia) têm que correr atrás e vacinar, existe esse tipo de situação, mas também há grande número de pessoas que entram no nosso sistema de saúde em busca de atendimento”.

Presente na mesa de abertura, o Secretário de Saúde, Rogério Leite, que estava representando o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde falou da importância da integração entre as três esferas de governo, “o Ministério da Saúde e o Governo do Estado estão sendo grandes parceiros. O entrosamento entre os setores de vigilância e atenção à saúde em cada secretaria são fundamentais para o fortalecimento da atenção primária”.

Projeto Wolbacchia

Foi assinado o termo de cooperação do Projeto Wolbacchia, entre o Ministério da Saúde, Fiocruz, Secretaria de Saúde do Estado e Campo Grande, uma estratégia inovadora do Ministério da Saúde que consiste em infectar o mosquito Aedes Aegypti com uma bactéria chamada Wolbachia, que reduz a capacidade de o mosquito transmitir a dengue, zika e chikungunya.

Os primeiros testes foram realizados em Niterói (RJ) e, após os bons resultados, foi expandido para outras regiões de diferentes biomas, como Campo Grande. E futuramente será ampliado, podendo chegar a Corumbá.

Mais Artigos

Santa Casa de Corumbá Normas Para Visitas

Diante da Emergência em saúde Pública de Importância Nacional ( Espin ) por doença respiratória, causada pelo coronavirus (2019-nCoV) e considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde