Em ano de reconhecimento nacional, andor da Prefeitura segue tradição do banho nas águas do Rio Paraguai

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Pelo segundo ano consecutivo, a pandemia de Covid-19 impediu a realização do tradicional Arraial do Banho de São, festa promovida pela Prefeitura de Corumbá ao longo dos históricos paralelepípedos da rua Manoel Cavassa. Margeada pelos casarões do Porto e pelas sinuosas águas do Rio Paraguai, a via costumava ficar ainda mais charmosa com as bandeirolas, o mastro e as bandeiras de São João.

Ponto alto da festança, a noite do dia 23 para 24 de junho – quando o Santo é celebrado pela Igreja Católica e religiões de matriz africana – costumava levar cerca de 40 mil pessoas ao local. À meia noite, a queima de fogos saudava São João e encantava não só a multidão que se aglomerava entre as barracas (com comidas e bebidas típicas) e o palco principal (onde a presença de artistas nacionais era comum), mas principalmente os fiéis que levam suas imagens para o banho.

É justamente esse ato de banhar o andor na Prainha do Porto que foi recentemente considerado pelo IPHAN como Patrimônio Imaterial do Brasil. Foi esse um dos principais motivos que fez a Prefeitura permitir essa manifestação de fé, entretanto, com diversas regras de biossegurança para resguardar a saúde dos munícipes. Os festeiros entenderam e cumpriram as medidas à risca. O Grupo de Fiscalização Integrada (GFI), presente no local, não registrou nenhum incidente.

Andor oficial

Entre centenas de devotos, o andor oficial da Prefeitura de Corumbá também cumpriu sua missão. Depois de ser abençoada pelo Padre Júlio César Mônaco, que celebrou a missa na Capela de São João – localizada bem ao meio da Ladeira Cunha e Cruz, a imagem foi carregada pelo prefeito Marcelo Iunes e servidores da Fundação da Cultura até a Prainha.

“É importante manter essa tradição de trazer o andor oficial da Prefeitura para o Rio Paraguai, principalmente nesse ano que nós ganhamos o título de Patrimônio Imaterial da cultura brasileira. Esse título foi por causa dessa devoção que nós temos por São João, que não é só festa, é muita fé, muita história”, afirmou o prefeito.

“Infelizmente, por causa de uma pandemia, o São João foi diferente. Mesmo assim nós mostramos a realidade do que é a devoção do povo corumbaense. São mais de cem famílias com os andores, todos enfeitados, na cidade. Hoje alguns desceram para cá, respeitando o Decreto, e outros preferiram ficar em casa. Alguns até pegaram a água aqui do rio para dar o banho no Santo na casa deles. É importante isso”, completou o chefe do Executivo municipal, que estava acompanhado pela primeira-dama e secretária de Assistência Social e Cidadania, Amanda Balancieri Iunes.

Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Fotos: Renê Marcio Carneiro
Mais Artigos

Vacinação Covid-19

Hoje tem vacina no Drive do Poli Esportivo! Astrazeneca pra quem tomou a D1 até 8/5 Coronavac pra quem tomou a D1 há mais 14 dias Pfizer pra