Turistas isolados em navio no Recife começam a ser retirados para embarcar de avião

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Uma semana após um canadense ser diagnosticado com o novo coronavírus, acabaram de ser retirados os primeiros passageiros do navio Silver Shadow, de bandeira das Bahamas, que se encontra em quarentena no Porto do Recife, na região central da  Cidade, desde o último dia 12 de março. O primeiro grupo a sair, na tarde desta sexta-feira (20), é composto por 25 pessoas que embarcam com destino a Santiago, capital do Chile. Uma parte viajará, de lá, para a Austrália e a Nova Zelândia.

Ao todo, 205 ocupantes do cruzeiro serão transportados diretamente para o Aeroporto Internacional do Recife, após negociações com as embaixadas e consulados de seus respectivos países. As demais 400 pessoas sairão nos próximos dias. Segundo o Governo de Pernambuco, nenhum deles apresenta qualquer sintoma de doença infectocontagiosa.

Dois ônibus, um caminhão e três ambulâncias foram usados para fazer o traslado dos passageiros até o Aeroporto Internacional do Recife. Os veículos vão entrar diretamente na pista para seguir em direção à aeronave, posicionada de forma estratégica. Trata-se de um táxi aéreo, fretado pela empresa de cruzeiros proprietária do Silver Shadow em parceria com embaixadas e consulados dos países de origem dos passageiros e tripulantes do navio.


Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus+ Coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo+ Coronavírus na Política+ Coronavírus na Economia+ Coronavírus em Diversão&Arte+ Coronavírus no Esporte

Mais Artigos

Carnaval 2020

Ensaio Técnico O ensaio técnico das Escolas de Samba vai ser realizado no domingo, 16 de fevereiro, a partir das 19 horas, na Passarela do Samba formada pela

Corumbá se Previne Contra

Apesar de Corumbá não ter registrado um caso suspeito do Novo Coronavírus, o município está em alerta. O Secretário de Saúde, Rogério Leite explica “há uma projeção de