Artistas de Campo Grande se juntam e criam o maior mural de arte urbana de Mato Grosso do Sul

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Seis artistas se juntaram e estão em processo de criação do maior mural de arte urbana de Mato Grosso do Sul. Ao todo serão 282 m² com obras que retratam a fauna e flora pantaneira, comunidades e locais e com elementos estaduais.

Os artistas estão em processo de pintura do mural, que ficará exposto à comunidade, na Estação de Tratamento de Água (ETA) Lageado, na rua Nicomedes Vieira de Rezende, 271, bairro Vilas Boas, em Campo Grande. O projeto é assinado em conjunto por: Pedro Morato, Barbara Dantas, Muriel Curumex, Rafael Mareco, Natacha IK e Alice Hellmann. Veja os artistas na foto abaixo.

Assinam a obra: Pedro Morato, Barbara Dantas, Muriel Curumex, Rafael Mareco, Natacha IK e Alice Hellmann — Foto: José Câmara/g1 MS

Assinam a obra: Pedro Morato, Barbara Dantas, Muriel Curumex, Rafael Mareco, Natacha IK e Alice Hellmann — Foto: José Câmara/g1 MS

Com obras completamente “instagramáveis”, o local será perfeito para abastecer o feed de qualquer um. A iniciativa é um projeto da concessionária Águas Guariroba que busca valorizar a arte local e o destaque dos elementos culturais e turísticos de Campo Grande. A obra deve ser entregue até o dia 18 de outubro deste ano.

A fim de tornar a arte mais democrática, os muros que antes eram brancos, agora com cores e cheios de vibrações, possuem o objetivo de fomentar a arte urbana e torná-la acessível para toda a população de forma ampla e gratuita, enaltecendo a diversidade da arte de Mato Grosso do Sul por meio do trabalho dos artistas.

Bárbara Dantas é uma das artistas que assina a obra.  — Foto: José Câmara/g1 MS

Bárbara Dantas é uma das artistas que assina a obra. — Foto: José Câmara/g1 MS

Bárbara Dantas é uma das artistas que assina a obra em conjunto. Veja a foto acima. Dantas acredita que o trabalho dela será capaz de interagir com as pessoas e destaca o fato de transformação do ambiente através das cores.

“Acho que a importância não depende de mim. Estou muito feliz de executar um trabalho que vai poder interagir e transformar um ambiente. Assim, transformando o ambiente, vou transformar o dia das pessoas. Mas depende de como a pessoa vai receber a obra. O olhar dela vai ser chamado de alguma maneira”, fala Bárbara Dantas.

A alegria é contagiante entre os artistas. Há seis anos trabalhando com arte urbana, Natacha IK espera que o “museu a céu aberto” possa causar reflexão ao dia a dia de quem passar pela exposição.

“Para mim é super alegre, mas ao mesmo tempo eu já quero uma outra. Espero sempre continuar e que alguém me indique, mas a satisfação é ver este trabalho na parede, independente de qualquer coisa. Por mais que seja qualquer âmbito da arte, o seu dia vai ser alterado. Nós somos um canal, especificamente neste tipo de arte, somos um canal que flui”.

A tela desta vez foi o muro em branco, o espaço instigou Bárbara Dantas. “Ver a parede branca é muito instigante. Com a possibilidade de pintá-la, é muito mais instigante. Toda parede branca instiga. Eu vejo muito a cidade e as paredes como uma galeria a céu aberto e elas sem uso é um desperdício, um vazio urbano. A gente está à disposição para exercer esta arte popular e acessível. A arte tem essa capacidade de dialogar. É inerente, a pessoa vai se relacionar com a arte”, finaliza.

Vibrações não perceptíveis aos olhos são retratadas na obra de Alice.  — Foto: José Câmara/g1 MS

Vibrações não perceptíveis aos olhos são retratadas na obra de Alice. — Foto: José Câmara/g1 MS

Uma das obras de arte, de Alice Hellmann, pretende expressar por meio da pintura os movimentos corporais e congelar as vibrações que não são visíveis aos olhos, segundo a artista (veja a foto acima).

“Tento tornar visual aquilo que não é visível. É uma reverberação. A importância é a interação que temos com o público. Temos uma pessoa se conectando, registrando este momento e querendo guardar isso. Eu acredito no poder da cromoterapia, só de você passar em frente ao mural assim e ver as cores transmite uma energia cromática”, mostrou Alice Hellmann.

Mais Artigos

Vacina, Pressa e Propaganda

Mundo afora, governantes transformaram o desenvolvimento de uma vacina contra o Sars-CoV-2 em uma corrida política. De Donald Trump nos EUA a Vladimir Putin na Rússia, promessas de