casos de Covid cai 72,9% em MS em 2 meses:

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

A média móvel de casos novos de Covid-19 caiu 72,9% em Mato Grosso do Sul em dois meses. Em 16 de junho era de 1.467,4, segundo dados da secretária estadual de Saúde (SES) e retrocedeu para 397,6 nesta segunda-feira, 16 de agosto.

Quadro similar foi registrado em relação a média móvel de mortes na mesma comparação. A redução chegou a 72,8%. Caiu de 52,6 para 14,3. Já o número de pessoas hospitalizadas em razão da doença caiu, neste mesmo período, 68,6%, recuando de 1.174 internados para 368.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que esses dados apontam uma melhoria sensível do quadro da doença. Comentou, entretanto, que apesar dessa retração, a pandemia não foi vencida, principalmente devido às variantes novas do coronavírus que já estão circulando em estados vizinhos a Mato Grosso do Sul.

Ele disse que o foco do estado agora é avançar na vacinação de adolescentes na faixa etária dos 17 aos 12 anos, com as doses de imunizantes que já chegaram.

Resende comentou ainda que pretende avançar nesta semana na discussão com o Ministério da Saúde da aplicação de uma terceira dose de imunizantes aos idosos que já completaram o ciclo vacinal, porque estudos no país e internacionais, já apontam que as vacinas estão apresentando “redução no processo de imunização” destas pessoas após determinado período.

O secretário ressaltou que a discussão sobre a terceira dose é um assunto muito importante, porque o estado já começa a detectar um número acentuado de mortes de idosos com 60 anos ou mais.

Dados da pandemia nesta segunda-feira 17/08/2021:

  • Casos confirmados nesta segunda: 237
  • Total de casos: 363.282
  • Mortes confirmadas nesta segunda: 12
  • Total de mortes: 9.182
  • Pessoas hospitalizadas: 368
  • Pacientes recuperados: 350.574
Mais Artigos

Vacina, Pressa e Propaganda

Mundo afora, governantes transformaram o desenvolvimento de uma vacina contra o Sars-CoV-2 em uma corrida política. De Donald Trump nos EUA a Vladimir Putin na Rússia, promessas de