Rótulos de alimentos: acaba prazo para adequar embalagens

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Terminou nesta segunda-feira (22) o prazo para empresas do setor alimentício incluírem em todos os rótulos de produtos informações sobre alto teor de gordura saturada, açúcar adicionado ou sódio.

A regra exige que as embalagens dos produtos venham com uma lupa na parte da frente da embalagem alertando para a presença dessas substâncias em alta quantidade.

A norma passou a valer em outubro de 2023, mas a Anvisa estendeu o prazo para as empresas se adequarem. Agora, todos os produtos que saem das fábricas precisam estar com o alerta nas embalagens.

Pode ser que você ainda veja nas prateleiras produtos sem a lupa. Isso porque todo o estoque do que foi produzido antes da norma vai poder ser vendido. No entanto, também há prazo: Até Outubro deste ano.

O principal objetivo da medida é conter o avanço de doenças relacionadas ao consumo exagerado dessas substâncias, que aumentam o risco de condições como diabetes, hipertensão, problemas cardiovasculares e obesidade.

  • No Brasil, 60% dos adultos têm excesso de peso, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2020. Além disso, um em cada quadro foi diagnosticado com obesidade: um total de mais de 41 milhões de pessoas.
  • De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a diabetes no país, o que representa 6,9% da população nacional.
  • Uma das principais causas de morte no país são as doenças do coração, que causam 30% dos óbitos. Isso corresponde a 400 mil mortes por ano, segundo o Ministério da Saude.

À época da mudança, a Anvisa argumentou que o alerta visível poderia ajudar as pessoas a fazerem melhores escolhas na alimentação, sabendo o que estão consumindo.

Regras para lupa no rótulo

Alto emProdutos sólidos e semissólidosProdutos líquidos
Açúcar adicionado15 g ou mais por 100 g7,5 g ou mais por 100 ml
Gordura saturada6 g ou mais por 100 g3 g ou mais por 100 ml
Sódio600 mg ou mais por 100 g300 mg ou mais por 100 ml

A ingestão de sal de mesa fornece 90% do sódio da nossa dieta. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que pessoas saudáveis consumam até 5 gramas de sal por dia. Para se ter uma ideia, isso equivalente a cerca de uma colher de chá.

No entanto, o consumo diário das pessoas acaba passando o limite estipulado porque ao sal da comida se soma o sódio presente em alimentos industrializados, como refrigerantes, bolachas, macarrão instantâneo.

  • Açúcar

De acordo com a OMS, no máximo 10% das calorias diárias devem ser por consumo de açúcar. Considerando uma dieta de 2.000 calorias, esse percentual equivale a 50 gramas de açúcar por dia. Na prática, representa cerca de dez colheres de chá.

  • GORDURA SATURADA

Segundo as diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a recomendação é que sejam consumidos apenas 22 gramas de gordura saturada por dia.


Mais Artigos

Os carros que fizeram história na Volkswagen?

Relembre alguns dos maiores clássicos da marca A Volkswagen comemorou no mês de março deste ano 67 anos de existência aqui em terras brasileiras. São impressionantes 6 décadas