Prefeitura e associações de matriz africana fazem visita técnica para reordenamento do Vale dos Orixás

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

A Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal e Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, fez uma vistoria técnica na região do Vale dos Orixás, distante aproximadamente 30 quilômetros da área urbana do município. A vistoria, na terça-feira, 21 de junho, contou com presenças de representantes da Sucursal Intermunicipal dos Cultos Afro Brasileiros (SinFecams) e da Acorema (Associação de Religiões de Matriz Africana de Corumbá e Região).

“Fomos procurados pela presidência da Acorema para uma reunião no local para especificarmos corretamente o que pode e o que não pode. Aquela área, onde são feitos os trabalhos, é uma concessão do Parque Piraputangas para associações de umbanda e  Candomblé. O Município cedeu para que eles realizassem os trabalhos religiosos. Estivemos lá para orientar sobre o que pode e o que não pode e fizemos uma fiscalização na área. Vamos colocar placas sinalizando permissões e proibições, inclusive situações de intervenção no meio natural, o que não pode; e a conscientização para a limpeza. Estamos prontos para fazer um trabalho conjunto junto com as associações de umbanda e candomblé”, disse Ana Cláudia Moreira Boabaid, diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal.

Presidente da Acorema, Clemilson Medina, que fez o pedido de reunião e visita ao local para a Fundação, participou da vistoria técnica. “Nossa preocupação era que o Meio Ambiente viesse junto fazer essa visita e passar, para nós, das associações, os direitos e deveres que têm que ser constituídos aqui dentro”, afirmou. “Nós temos que preservar e zelar, sabendo o que podemos fazer e o que não podemos”, completou Medina.

Marcos Vinicius Queiroz, presidente da Sucursal Intermunicipal dos Cultos Afro Brasileiros (SinFecams) também acompanhou a vistoria. “Há desencontro entre todas as casas e as tendas espíritas, tanto de Candomblé como de Umbanda, quanto ao uso e ocupação dessa área”, pontuou ao destacar que são mais de 300 casas de religiões de matriz africana em Corumbá.

O gerente de Políticas Públicas para Igualdade Racial, Alexsandre Pereira de Souza, participou da vistoria técnica ao Vale dos Orixás.  “Tratamos da reordenação, limpeza e uso do Vale dos Orixás, conseguimos reunir todos numa direção. Todos tiveram voz para agregar sugestões”, afirmou  o gerente ao destacar o trabalho realizado pelo prefeito Marcelo Iunes e secretária de Assistência Social, Amanda Balancieri Iunes, para garantir a livre manifestação religiosa das comunidades de matriz africana.

VALE DOS ORIXAS
Mais Artigos

jovem é presa com cocaína no colchão

ao tentar tentar entrar no presídio Uma jovem de 19 anos foi presa domingo (20), em Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande, ao tentar entregar um