Inaugurado, Monumento Presenteado Por Cuiabá Reforça Identidade Entre Os Municípios

Publicado em

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Corumbá inaugurou na manhã desta sexta-feira, 31 de janeiro, o monumento ‘Viola de Cocho’. A entrega do monumento integrou as comemorações dos 300 anos de Cuiabá, capital do Mato Grosso, celebrado ao longo de todo ano de 2019.

Instalada em frente ao Centro de Convenções, a obra – presenteada pela Prefeitura de Cuiabá – é uma retribuição ao obelisco oferecido em 1919 pelos corumbaenses em homenagem ao bicentenário da capital mato-grossense. Este obelisco está instalado na praça Luiz de Albuquerque, na orla do rio Cuiabá, na capital do estado de Mato Grosso.

O monumento ofertado pelo povo de Corumbá no século passado é uma réplica do Obelisco de Ramsés II que se encontra na praça da República – em frente ao prédio do Instituto Luiz de Albuquerque (ILA) e Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária – que homenageia os heróis da Guerra contra o Paraguai e é inspirado no existente na praça da Concórdia, em Paris, que foi construído a mando do faraó egípcio Ramsés II, em 4000 a.C.

Representando o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, o secretário-adjunto de Turismo daquela cidade, Marcelo Pires, destacou o significado do presente cuiabano para os corumbaenses. “Celebramos essa irmandade com Corumbá e que nossa irmandade perdure. Cuiabá ganha ao presentear Corumbá. Que essa obra não apenas embeleze, mas também se torne mais um ponto atrativo do município”. O secretário-adjunto também convidou o prefeito Marcelo Iunes para visitar Cuiabá e “estreitar ainda mais o elo” de amizade existente entre os dois municípios.

Presente à cerimônia, o deputado estadual Evander Vendramini afirmou ser um “reconhecimento histórico importante a retribuição de Cuiabá ao presente ofertado pelos corumbaenses 100 anos atrás. Corumbá tem uma ligação histórica com Cuiabá e esse presente é motivo de orgulho para nós”. O presidente da Câmara Municipal, Roberto Façanha, disse que Corumbá e Cuiabá são “cidades gêmeas, separadas pela divisão dos estados”. Primeiro vice-presidente do Legislativo Municipal, o vereador Tadeu Vieira, também acompanhou a solenidade.

Responsável pela definição do local e equipe que realizou a instalação do monumento ‘Viola de Cocho’ na área de passeio público do Centro de Convenções, a diretora-presidente da Fundação de Turismo do Pantanal, Elisângela Sienna, reforçou, num breve discurso, que a peça “emoldura com esplendor o cenário do Pantanal e as curvas do nosso rio Paraguai”. Empresário do setor de turismo, Luiz Martins, disse que a instalação evidencia “o potencial de Cuiabá e Corumbá” e frisou que a ‘Viola de Cocho’ é mais uma atrativo para contemplação turística.

O prefeito Marcelo Iunes destacou a “identificação histórico-cultural” existente entre os povos de Corumbá e Cuiabá apesar da distância. “Somos cidades irmãs, nossos povos têm uma relação cultural e histórica muito fortes, uma identidade mesmo. Juntas, nossas cidades tiveram importância fundamental no crescimento e desenvolvimento do Mato Grosso integrado. Seguimos agora com a missão de fortalecermos os laços e promovermos uma integração turística, cultural entre nossos municípios”, afirmou.

Iunes ressaltou que o monumento ofertado pelo povo cuiabano se tornou em “mais um cartão postal” de Corumbá. “É um grande presente que ganhamos, agradeço ao prefeito cuiabano, Emanuel Pinheiro, pela lembrança a Corumbá. É um atrativo turístico para Corumbá também, um belo espaço”, finalizou o chefe do Executivo corumbaense. A primeira-dama e secretária Especial de Cidadania e Políticas Públicas, Amanda Balancieri Iunes, participou da cerimônia, que contou com apresentações da Oficina de Dança e da Banda de Música Manoel Florêncio.

O monumento Viola de Cocho

A Viola de Cocho serve de moldura à memória ancestral desses 300 anos que nos constituíram como defesa e cerne de uma civilização.

O Tuiuiú, ave símbolo da maior planície alagada do mundo, nos lembra que as águas do Pantanal não separam, mas unem o Mato Grosso (MT) ao Mato Grosso do Sul (MS).Estados siameses em suas tradições e culturas gestadas na coragem indômita dos povos indígenas e no vigor dos brancos e negros que mais adentraram ao oeste da civilização ocidental.

Ao Centro da obra, representações estilizadas dos rios que formam a bacia pantaneira sobressaem como artérias pujantes da integração latino-americana e de ambos estados, celeiros do mundo. Representação dos Obeliscos que unem Cuiabá e Corumbá.

O Cardume nos remete à necessidade de nos mantermos unidos, ágeis vigilantes e com a imprescindível coragem de preservação deste patrimônio natural que antes de pertencer aos contemporâneos, é presente a humanidade futura.

O Sol, em destaque, pode ser interpretado como um século que se encerra ou o alvorecer dos tempos vindouros. A representação dos Vasos Cerâmicos é elo aos povos pré-colombianos
formadores da cultura mato-grossense.

Mais Artigos

Abertas Inscrições Para Festival de Pesca

Estão abertas as inscrições para o Festival Internacional de Pesca Esportiva de Corumbá. Promovido pela Prefeitura, o evento acontece entre os dias 3 e 5 de abril no

Prefeitura Empossa Aprovados No Concurso de Educação

Mais 13 profissionais aprovados no Concurso Público da Educação, promovido pela Prefeitura em 2018, foram empossados nesta segunda-feira, 2 de março. Os técnicos de Educação Infantil foram recepcionados